Amor, o nutriente essencial.

O amor é um nutriente essencial, assim como a água.

Buscar o amor e dele se alimentar, é um ímpeto gravado no nosso DNA, e faz parte do nosso pacote de sobrevivência.

Temos que usar o amor de maneira ampla e deliberada.

Não me refiro apenas ao amor, a paixão pela companheira, mas a conexão positiva com as pessoas.

Quando nos relacionamos seguidamente com as outras pessoas de maneira cartorial, burocrática, sentimos que algum nutriente essencial está nos faltando.

Podemos tentar enganar com um sorvete, meia hora de programação pastelão na televisão, uma cerveja gelada, mas o nosso organismo chama a nossa atenção para essa carência essencial.

Efeito bioquímico:

A ciência já comprovou a o efeito bioquímico que faz a falta de amor na nossa vida.

O amor nos faz sentir bem, impulsiona o crescimento físico nas crianças e abre a nossa percepção sobre nós mesmos.

Expressando o amor nos relacionamentos sentimos que a nossa visão do mundo se transforma, pois permitimos que a abundância da vida nos chegue.

Como nos alerta a dra. Barbara Fredrickson, prof. da Univ. North Carolina – USA, o amor é a suprema emoção, assim como a água é o nosso supremo alimento.

Um sorriso sincero entre duas pessoas deflagra uma poderosa reverberação e ressonância entre as suas emoções.

Se deixe conectar, mesmo no caixa do supermercado.

Dê tempo, aja e reaja com calma para que esse processo fantástico se processe.

Olho no olho:

O contato olho no olho, e o interesse completo pelo que ocorre entre duas pessoas.

Não precisa ser amor entre amantes, nem a atração sexual repentina.

Às vezes um toque delicado e respeitoso, outras vezes um olhar carinhoso e atencioso.

Já comentei nesse blog: o amor é o máximo.

Aproveite esses traços genéticos vencedores que trouxeram a raça humana até aqui.

Não deixe que isso se perca pelas conexões digitais, distantes e impessoais.

Se conecte de verdade, pessoalmente, sem os recursos da websfera.

Não negligencie, e seja feliz.                                                                R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked