Alivie a pressão sobre si mesmo.

A maior pressão que sofremos é aquela que impomos a nós mesmo. Alivie essa pressão, se trate com generosidade e honestidade, aprenda a gostar mais de si próprio.

Abandone os rigores e o perfeccionismo que tem exigido de si mesmo, e aceite os resultados, sem se culpar ou culpar os outros.

Muitas vezes os resultados são aquém do desejável, mas ainda assim são aceitáveis. Aceite a vida como ela é.

Errar e acertar, cair e se levantar é uma condição humana virtuosa, pois é assim que crescemos e nos tornamos pessoas melhores, mas resilientes e generosas.

Muita correria:

Pare um pouco com essa correria. Reduza a quantidade de compromissos, e assim vai ter mais tempo para si mesmo.

A sensação de inadequação e insatisfação com a vida vem muito do comprometimento que temos que tudo que nos cerca, trabalho, família, e nenhum compromisso consigo mesmo. Estamos abandonados por nós mesmos.

Temos que cuidar de si mesmo, gostar de si mesmo.

Evite o falso alívio de pressão, recorrendo a mecanismos tóxicos, álcool, substâncias ou mesmo companhias nocivas.

Evite também aqueles recursos que nos parecem atrativos, mas logo nos arrependemos – o pote inteiro de sorvete, uma larga fatia de torta.

Não amplifique tanto as coisas negativas. Tudo é relativo, e nada pode ser tão ruim assim. Não cobre de si mesmo coisas que estão fora do seu alcance.

Não queira mudar os outros, pois isso está fora do seu alcance. Além do que, você não gostaria que te manipulassem como a um marionete.

Seja bom com os outros, e seja bom consigo mesmo.

Pode haver muita pressão sobre mim agora mesmo, mas eu evito colocar a mesma pressão sobre mim mesmo.

Essa atitude honesta e generosa, funciona como um escudo para tantas cobranças, e evita que eu invente cobranças para mim mesmo.                                                                                                    R.S. Beco

1 Comentário

Jéssica

about 4 anos ago

Eu era uma pessoa muito perfeccionista, mas ainda bem que me livrei disso, hoje em dia, pra mim, o bom, o razoável já é o bastante, claro que a gente faz algo, é pra melhorar, e se esforça, mas se erro algo, vô la, e tento de novo, não fico me culpando mais, e realmente, quando se tirar o peso da perfeição das costas, definitivamente, fica mais leve mesmo,

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta