Alguma coisa ruim está prestes a acontecer.

Temos às vezes uma preocupação excessiva com o que não vai acontecer. É o alarmismo, o medo e a insegurança.

O futuro pode nos amedrontar se anteciparmos os problemas com pessimismo.

Pense nos eventos do passado e veja que esse seu alarmismo não se confirmou em muitas das vezes.

Reflita sobre as razões de sobra que você tem hoje para acreditar num futuro melhor, coisas boas e resultados animadores.

Nada de ruim:

Nada de ruim vai acontecer nas próximas horas. Relaxe e converse com alguém, um amigo, a companheira e compartilhe essa sua preocupação. Você vai ver que outras pessoas não compartilham desse seu nível de preocupação.

Não digo que você deva relaxar com tudo na vida, afinal, os problemas estão todos aí para serem resolvidos.

Mas temos um bocado de excesso nessa preocupação, especialmente com as coisas que estão totalmente fora do nosso controle.

Não podemos controlar o tempo, a vida dos outros, o resultado de tanta coisa, e no entanto, nos preocupamos como se tudo fosse dar errado.

Pense na repercussão e nos desdobramentos dos eventos futuros para você. O que é que isso tem a ver contigo? Até que ponto isso é importante na sua vida?

Será que não estamos nos preocupando com a vida dos outros, sobre as quais não temos qualquer influência?

Ao nos libertarmos da preocupação excessiva com o futuro, estamos livres para usufruir da abundância do momento presente.

Escreva:

Um bom exercício é escrever sobre as suas preocupações detalhadamente.

Pode ser uma questão de saúde, relacionamento familiar, negócios ou criação de filhos. Escreva tudo detalhadamente e deixe uma coluna para observar se é algo que você tem controle, pode fazer alguma coisa.

Escreva também se há evidências objetivas de que essa catástrofe que você está prognosticando pode acontecer.

Um balanço disso tudo pode te apaziguar e relativizar a sua preocupação.

Nada de ruim vai acontecer.

“A preocupação nunca tira a tristeza do amanhã; ela somente enfraquece a força do hoje”. A.J. Cronin

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked