Aja com serenidade.

Quando as coisas não estavam indo bem, a minha mente logo entrava em parafuso, não conseguia mais pensar em nada a não ser no problema, nas causas, na minha culpa, na culpa dos outros e nas consequências futuras.

Me sentia como se afogando na situação, e mal conseguia respirar.

Felizmente aprendi a buscar a serenidade no fundo da alma.

Já comentei aqui que no fundo do lago, a água é sempre serena.

A despeito da agitação dos ventos na superfície, a temperatura baixa e o gelo se formando, lá no fundo reina a serenidade.

Hoje, quando os momentos difíceis aparecem, respiro fundo e mergulho na serenidade por alguns instantes, restabelecendo a tranqüilidade para enxergar o problema na real perspectiva, sem o viés do medo, da culpa e do arrependimento.

Com a prática, verifico que passei a tomar as decisões com mais clareza, avaliando objetivamente os pros e contras e as reais conseqüências.

Quando nos deixamos dominar pelo calor emocional da situação, deixamos de enxergar por entre a nuvem de fumaça que envolve qualquer  problema.

Alguns aspectos são reais, mas outros tantos são apenas fumaça provocada pelo exagero emocional com que nos envolvemos.

Deixe os pensamentos irem.

Deixe as preocupações do futuro e os ressentimentos do passado irem.

Sinta a compaixão por tudo que te cerca tomar conta de si.

Sinta a empatia por todos que te cercam tomar conta de si.

Sinta um profundo relaxamento.

Deixe isso tudo contaminar a sua atitude e suas ações.

Olhe tudo e todos com a lente da serenidade.

Se permita ser feliz.

Beco

1 Comentário

Eli Lima

about 7 anos ago

Massa! Fique bem.

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta