Acredite nas pessoas e aceita-as como são.

Muitas vezes ficamos no dilema de acreditar novamente nas pessoas que falharam conosco.

Não devemos viver relacionamentos com picos de esperança e vales de decepção.

Atenue um pouco as expectativas e aumente a aceitação das pessoas como são. Vai te ajudar no relacionamento com todas as pessoas.

As pessoas podem falhar, e podem nos decepcionar, mas não é motivo para desacreditarmos nelas.

Analise e confie na sua experiência com as pessoas, coloque na balança quantas vezes elas acertaram contigo antes de sair condenando.

Espere das pessoas o que é razoável esperar.

Esperar muito é certamente um caminho para o desapontamento.

Os cientistas do comportamento já publicaram suficiente material sobre a expectativa e a influência na felicidade.

Quero citar um artigo do Dr. Alden Cass, publicado no New York Magazine, onde ele diz que Felicidade(F) , Realidade(R)  e Expectativa(E), estão relacionados na fórmula seguinte:   F=R/E, o que quer dizer que quando a realidade é igual a expectativa, estamos equilibrados. Quando a Expectativa é maior que a Realidade estamos infelizes, e quando o contrário acontece, estamos mais felizes.

Isso certamente se aplica ao relacionamento com as pessoas. Quando criamos expectativas irreais das pessoas do nosso convívio, estamos criando um rosário de decepções e razões de montão para se sentir infeliz.

Esperar um pouco menos das pessoas, dar um pouco mais de si– me parece uma boa receita, pois temos menos razões para nos decepcionar, e damos ainda, chances de surpreender as pessoas com quem nos relacionamos.

Me parece que o cerne dessa questão, está no perfeccionismo.

Se esperamos demais das pessoas, é porque as queremos nada menos do que perfeitas.

Trabalhar essa questão do perfeccionismo sem dúvida traz dividendos.

A Dra Alice Domar, aborda isso muito bem no livro que já comentei aqui: Você pode ser feliz sem ser perfeita.

O outro ponto relacionado com isso é a aceitação – aceitar o mundo como é, aceitar as pessoas como são, e mais importante – aceitar-se a si próprio.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta