Abrace a vida.

O mundo não é perfeito aos olhos de uma pessoa ansiosa.

No entanto, aos olhos de uma pessoa grata, o mundo é pleno, abundante e perfeito.

Só de estar vivo, e poder sentir o frescor do ar entrando nos pulmões já é uma benção.

Abraçamos a vida quando vivemos corajosamente, quando vivemos com paixão.

Me ocorre, que muitas vezes dizemos: “ estou morrendo de trabalhar” – “ estou morrendo de estudar” – “estou morrendo disto ou daquilo”.

Afinal, quando é que estamos vivendo?

Paulo Coelho postou no seu blog uma observação que gerou um montão de discussões. Disse ele: – quero que a minha lápida contenha o seguinte dizer – “aquele que morreu vivo”.

Muitas pessoas comentaram que é evidente que quem morreu é porque estava vivo.

Comenta Paulo Coelho que muita gente já morreu, embora esteja ainda caminhando entre nós. Não estava ele falando de fantasmas, mas de pessoas que não estavam vivendo plenamente.

Viver plenamente não significa permanecer indefinidamente em estado de contemplação, mas assumir o papel de protagonista da própria vida, se tornando a pessoa que quer se tornar.

Assumir o crescimento pessoal em todas as dimensões.

Já comentei numa outra postagem sobre a pergunta de Jim Cathcart: “como a pessoa que eu gostaria de ser, faria o que estou prestes a fazer?”.

Se eu não assumir o meu papel, acabarei como um marionete das circunstâncias, me tornando eventualmente numa pessoa que detestarei ser.

Devo ser proprietário do meu destino e tratar com carinho tudo que me diz respeito, com amor, gratidão e responsabilidade.

E o futuro, é o reflexo de tudo que recebo de positivo na vida, somadas às lições que tiro de cada adversidade que se apresenta no meu caminho.

Você é hoje o que suas decisões e a sua fé te tornaram.

Você está hoje onde suas decisões e a sua fé te trouxeram.

Se você não gosta de nada disso, reflita sobre as ações que cabe tomar.

Devo abraçar tudo que me cerca.

Devo aceitar, agradecer e usufruir da abundância da vida.

Devo aceitar especialmente aquelas coisas sobre as quais não tenho qualquer controle, e isso é uma condição para poder passar com dignidade e alegria para o próximo capítulo da minha vida.

Floresça, como nos ensina o Prof. Martin Seligman.

Floresça para o melhor que você pode ser, pois o mundo, caso você o aceite, já é o melhor que pode ser.

Tudo na vida, quando focalizado com amor, gratidão e aceitação, apresenta um aspecto positivo a cada mirada.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta