A virtude da honestidade

A desonestidade limita os nossos caminhos, enquanto a honestidade nos dá a liberdade de escolher, caminhar, empreender. As opções se restringem, e os amigos do peito se afastam e os familiares se sentem envergonhados quando escolhemos o caminho tortuoso.

Passamos a pertencer a outra classe, outra tribo.

A desonestidade limita os nossos relacionamentos, pois vamos conviver com pessoas que compactuam com o nosso comportamento.

Acredito que seja difícil viver em paz sendo desonesto, pois quando somos honestos, temos a verdade do nosso lado. Do contrário, estamos desamparados , entregues à maldade e a mentira.

Honestidade:

A honestidade dá durabilidade aos relacionamentos. Sabemos que o contrário traz uma efemeridade às conexões, um interesse espúrio, volúvel e dissimulado.

A honestidade implica em tratar tudo e todos com a verdade, e quando assim fazemos, descobrimos que somos verdadeiros consigo mesmo.

A honestidade é uma virtude que está dentro de cada um, nascemos assim, mas podemos muito bem aniquilá-la à medida que agimos contrariamente.

Podemos ser ricos materialmente, mas temos que construir agregando valor, e não destruindo o valor de terceiros, destruindo as instituições e a sociedade.

A sabedoria é construindo em cima de bases sólidas, e a desonestidade é um terreno extremamente pantanoso.

Não devemos escolher os caminhos que vamos percorrer baseados na desonestidade. Assim, vamos nos encontrar ao final da vida com as duas decepções que já comentei diversas vezes.

Descobrir que a velhice chegou muito cedo, e a sabedoria chegou muito tarde.

Como ouvi ontem, a vida não tem replay e temos que viver sem arrependimentos, verdadeiros consigo mesmo, honesto nas mínimas coisas.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta