A vida pode se descontrolar.

Sabemos que a vida pode se descontrolar. Estamos navegando e de repente o nosso leme não funciona mais.

Podemos nos tornar obcecados pela vida dos outros, querendo controlar tudo e todos, enquanto a nossa própria vida segue à deriva.

Seguimos excessivamente os ditames da moda, os mandamentos do status social, sem atentar para tudo aquilo que realmente dá sentido à nossa vida.

Um navio sem rumo, porque o capitão está no porão, tomando conta dos ratos e dos vazamentos.

Reflexões:

A vida deve ser vivida conscientemente, sabendo para onde está rumando.

O que vamos ser, qual vai ser o nosso legado?

Quais serão os motivos para sermos lembrados?

Seremos lembrados com alegria? Seremos simplesmente esquecidos?

É comum passarmos metade da nossa vida correndo atrás de objetivos irreais, e que mesmo se alcançados não nos trarão felicidade.

Às vezes a realização e a felicidade estão tão ao alcance da mão, mas insistimos em correr o mundo atrás de outra coisa qualquer.

Olhar para dentro de si:

Temos que olhar para dentro de si e perceber exatamente o que nos motiva – qual é o nosso chamado.

Se formos na conversa dos outros, estaremos ao fim e ao cabo, realizando os sonhos dos outros.

É isso, uma vida sem controle, um navio à deriva.

O destino tem que ser a nossa vontade, a nossa realização.

Muitas vezes estamos correndo para realizar os sonhos dos nossos pais – não é razoável – só temos uma vida.

Outras vezes, carregamos tanto rancor e ressentimentos que a vida se torna descontrolada, simplesmente porque não conseguimos arredar pé com tanta inutilidade que carregamos.

Também há vezes que nos deixamos ficar com a autoestima tão baixa que não caminhamos um metro sequer porque não nos sentimos capazes.

Temos que assumir o controle de nossas vidas antes que ela se acabe.                                                                                  R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta