A vida está me levando para lugar nenhum.

A vida está me levando para lugar nenhum.

Quando chego a esse questionamento é sinal de que a vida vai começar a fazer sentido.

É triste quando estamos tocando a vida como um barco à deriva, e sequer temos noção disso, sem qualquer consciência do sentido da vida.

Quando começo a questionar pra onde isto está me levando, é que o processo de acordar para a vida começou dentro de mim.

O despertar – a vida em si é um despertar – nascemos, crescemos e despertamos para o sentido da vida.

Se crescemos fisicamente, mas  o nível de consciência da nossa existência permanece como quando éramos um bebê, não nos diferenciamos de outros animais.

Se comemos, mas não nos lembramos de nada que comemos, grande chance de estarmos fazendo tudo mecanicamente, exatamente como um robô.

Já comente aqui em: não seja um robô.

Devemos buscar um despertar espiritual, perceber a beleza em tudo que fazemos e vivemos no dia-a-dia.

Temos que conta dos próprios sentimentos, sejam bons ou maus, agradáveis ou indesejáveis, sentirmo-nos humano todo momento.

Viver com satisfação tudo aquilo que o dinheiro não pode comprar, um relacionamento, a satisfação de um ato generoso, tanto quando fazemos quanto recebemos.

Perceber que aquilo que vejo e aprecio no mundo externo é reflexo daquilo que sou internamente, e não o contrário.

Não devo deixar que a minha capa externa, a minha vestimenta defina o que sou internamente.

Não devo permitir que o piloto automático silencie a voz do meu coração. Não devo deixar a minha vida ser comandada por forças que estão fora de mim – eu quero ter voz nesse negócio de viver.

A vida é um despertar, e nunca é tarde para isso.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta