A vida é um pacote inteiro.

A vida é repleta de coisas boas e outras tantas que não tão boas – pelo menos é assim que eu vejo.

Mas o pacote, de maneira geral, é muito bom, é fica melhor à medida que aceitamos o pacote por inteiro.

Aprendemos com o tempo e com a maturidade a lidar com as coisas ruins.

Aprendizado:

Aprendemos também a exercitar o nosso poder de transformar coisas ruins em boas, a tirar proveito de cada circunstância desfavorável.

Quando aceitamos a vida por inteiro, até as experiências desastrosas se transformam em lições valiosas, eu digo isso da minha própria experiência.

Uma coisa interessante é que a mesma situação, quando analisada muito tempo depois, nos ensina algo novo.

Meu pai já se foi há muito tempo, mas relembro muitas situações que vivenciamos juntos, e cada vez que assim faço, a minha compreensão é diferente.

Isso acontece também com pessoas que reencontramos depois de muito tempo. Cada reencontro nos mostra algo novo, uma nova realidade, uma nova perspectiva. São os mecanismos da maturidade trabalhando a favor do nosso crescimento pessoal

Vida imprevisível:

A vida é realmente imprevisível, e bela nos mais diversos aspectos.

Criamos expectativas com relação às nossas futuras realizações, e muitas delas não se concretizam e nem por isso nos tornamos infelizes – assimilamos, nos contentamos e seguimos adiante.

Outras situações, totalmente imprevisíveis, nos deixam assustados, mas satisfeitos e agradecidos.

As coisas boas, são fruto do nosso esforço, da nossa dedicação e da interação positiva que criamos com o mundo que nos cerca.

As coisas ruins são as lições que temos que aprender para estarmos plenamente preparados para usufruir das coisas boas.

Percebemos com frequência que algumas pessoas parecem ter tudo e estão permanentemente descontentes e infelizes.

Outras, se satisfazem com muito pouco e parecem sempre felizes.

Me pergunto – quem está mais preparado para usufruir da abundância da vida?

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta