A resposta adequada.

Sei que você quer sempre a resposta adequada. Se você não está satisfeito com as respostas que a vida lhe apresenta. Experimente mudar as perguntas.

Com a mente fechada, as perguntas são restritivas, e estamos sempre fazendo as mesmas perguntas.

Porque não tenho um salário melhor? Por que eu? Eu mereço tudo isso?

Quando algo de errado acontece contigo, não se coloque como vítima, como se fosse a pessoa mais injustiçada do mundo.

Se pergunte o que isso vai te ensinar. Pergunte pelo significado.

Nosso desejo:

Nem tudo acontece conforme o nosso desejo, aliás, muita coisa foge ao nosso controle e os resultados podem estar muito aquém das nossas expectativas.

Ficar praguejando e se lamentando não vai te levar a nada.

Se fazer sempre as mesmas perguntas negativas tampouco vai te trazer respostas aceitáveis.

Nada vem por acaso, mesmo aquilo que não gostamos.

Presentes feios:

Os presentes mal embrulhados que tendemos a desprezar podem guardar verdadeiros tesouros.

A vida tem um jeito particular de nos ensinar as coisas mais importantes.

Não as aprendemos em sala de aula, confortáveis, no ar condicionado.

Aprendemos de joelhos, machucados e não raro, desesperançados.

Mas nessa hora, quando a lição importante nos está sendo ensinada, temos que estar atentos, com a mente aberta, humildes e serenos.

A atitude arrogante, revoltosa e inconformada nos impede de aprender a lição. Com isso, vamos nos defrontar com a mesma situação, várias vezes, até que aprendamos adequadamente.

Escola da vida:

A vida é uma escola, e pode ser uma escola dura, onde não nos é permitido trapacear, gazetear, pois estamos enganando a nós mesmos.

Quem faz as perguntas certas, recebe a resposta certa logo de primeira, aprende a lição e segue adiante.

Quem faz as perguntas erradas vai ter sempre uma resposta padrão, volte para o início da lição.

Queremos seguir em frente, progredir, crescer, e ninguém quer ficar estagnado, mas para isso temos que refletir sobre as respostas que a vida está nos oferecendo.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta