A miragem e o perigo.

O perigo que enxergarmos pode ser pura miragem. Muitos perigos que imaginamos ali na frente não passam de ilusão de ótica. O futuro não é tão desastroso assim.

Sei que preciso ficar atento para as dificuldades, e tampouco posso caminhar de olhos fechados.

Tenho que observar a vida com realidade, sem amplificar ou reduzir. A vida é como ela é.

Aquela imaginação excessiva e catastrófica vai criar um mundo de miragens que pode atrapalhar as minhas iniciativas.

Imagine se todos os dias saíssemos de casa, imaginando um leão querendo nos devorar?

A realidade:

Sabemos que isso não representa a realidade, e por isso saímos mais tranquilos.

No entanto, com muitos assuntos, tendemos a pensar o desastre iminente, mesmo sem qualquer indício de que isso seja realmente verdadeiro.

É bom evitar essa mente catastrófica, pois o mal que isso provoca na nossa saúde é enorme.

O estresse crônico nos impede de ver com clareza os nossos problemas, e mesmo aqueles sem importância, adquirem uma dimensão assustadora.

O nosso organismo, desequilibrado pelo estresse crônico, se altera com o mínimo desconforto, como se o mundo fosse acabar.

E isso pode acontecer devagarinho, sem alarme, e de repente já estamos transtornados de tanto estresse.

Quando a situação ficar preocupante, temos que procurar ajuda profissional.

A meditação é sempre um recurso valioso, e trazer calma para o espírito, nos livra das miragens no nosso caminho.

Reduzir drasticamente a velocidade com que levamos o nosso cotidiano também nos permite conduzir as atividades com calma. As demandas do mundo moderno são por vezes incontroláveis, e contatos inúmeros, agenda apertada e compromissos além da nossa capacidade nos trituram todos os dias. Temos que implementar mecanismos para aliviar tanta tensão.

Levar a vida com mais serenidade é uma receita que devemos buscar.

Quando sentir a fervura subir, interrompa, respire fundo e vá com calma.                                    R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta