A lista dos meus medos.

Vivemos com muitos medos.

Fazer uma lista sempre ajuda, e nesse caso, acredito que seja realmente positivo.

Quando escrevemos sobre os nossos medos, somos instados a refletir sobre eles, reconhecer, caracterizar.

Depois de tudo isso, podemos dar o passo seguinte que é aceita-los, e assim poder encará-los de frente.

Sentir medo é natural, o que não queremos é que eles nos paralisem.

Zen Habits:

Doug Headcock escreveu sobre o medo para o ZenHabits, e selecionei alguns pontos interessantes.

Raro são as pessoas que vivem sem algum tipo de medo.

O medo nem sempre é uma coisa ruim, pois é ele que nos impede de correr riscos excessivos.

Mas quando deixamos que o medo nos domine, criamos uma limitação enorme para nossas ações, e nunca vamos descobrir a riqueza do mundo e tampouco realizar o nosso potencial.

Um:

Perceba que cada pessoa tem medo de alguma coisa. Quando conversamos com as pessoas, encontramos dicas para lidar com isso, e é possível que no nosso caso seja parecido.

Dois:

Você não tem que vencer os medos todos de uma vez. Veja como você lidou com os medos quando pequeno, e veja como os seus filhos pequenos lidam com isso, faça uma lista,  escolha um medo e trabalhe isso em exercícios específicos, por exemplo o medo de falar em público. Muitas pessoas já relataram que venceram esse medo passo a passo.

Três:

Encare os seus medos como oportunidades de crescimento. Olhe além do medo e imagine os benefícios que você pode ter ao vencer um medo específico. Você pode fazer uma relação de pros e contras para enfrentar tal medo. Será que sua vida será diferente se você vencer este medo? O que você se sentirá livre para fazer ao vencer este medo? O que você tem a perder?

Você pode ir mais longe e escrever alguns parágrafos de como a sua vida seria diferente se você não tivesse este medo.

Quatro:

Tenha cuidado quando você fala sobre o medo consigo próprio. É muito fácil se convencer dos seus medos, criar muitas justificativas para não sair da sua zona de conforto, não correr riscos. Podemos incorrer em muitos pensamentos negativos e imaginar barreiras que não são reais. É natural sentir medo do desconhecido, mas tente imaginar o melhor, imagine coisas boas acontecendo.

Cinco:

Falhar não é o fim do mundo, e o medo de falhar é o mais comum deles. Algumas falhas podem ser devastadoras, ameaçar a sua própria vida, mas na maioria das vezes isso não acontece. E o medo de falhar pode limitar a sua carreira, as oportunidades e experiências. As falhas podem nos ensinar como conduzir a próxima experiência, como realizar a próxima etapa.

Ao fazer a lista e descrever cada medo, escreva três pequenos passos que você pode fazer para vencer cada um dos medos, e comece devagar, um de cada vez.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked