A intimidade comigo mesmo.

Tenho que me manter desperto, e assim me conectar com a minha intimidade.

Pensamos estar acordados, mas estamos no piloto automático, carregados por forças externas.

Mas quem é que tem tempo para se conectar consigo mesmo, nesses dias de hoje?

Especialmente quando temos que nos manter conectados com mais de mil pessoas que sequer conhecemos, a tarefa de se manter desperto se torna difícil.

Controle a sua vida:

Desperto significa pleno de sua consciência, conduzindo a própria vida com a mão no leme.

Mas ao contrário, estamos sempre subjugando a própria consciência.

Estamos sempre submetendo a nossa própria vontade à mercê de forças diversas.

Precisamos bater na própria porta.

Precisamos olhar para o próprio espelho e ver se nos reconhecemos de vez em quando.

Esteira hedônica:

O cotidiano e a esteira hedônica acabam nos transformando de tal modo que nem nós nos reconhecemos mais.

O principal relacionamento que tenho que cuidar, é de mim comigo mesmo, e é o tipo de relacionamento que exige uma tremenda intimidade.

Diferente do relacionamento conjugal, ou mesmo de amizade, esse relacionamento não permite ruptura.

Aliás, permite o divórcio, mas sem separação.

Por outro lado, aguenta desavenças, conflitos de toda sorte e até deixar de se falar por anos seguidos.

Mas tanta apartação não acontece sem ônus.

Se divorciar de si mesmo, significa abdicar de si, jogar no lixo a individualidade.

Parece algo drástico que ninguém faz.

Muito pelo contrário, estamos sempre nos escondendo de si mesmo, se anulando, se castigando, se maltratando.

Para dar um basta em tanta insanidade, é preciso começar aos poucos, um dia de cada vez.

Primeiro, olhar para si mesmo com honestidade.

Segundo, manter uma conversa franca, compreendendo suas vontades, seus sonhos, seus projetos.

E assim por diante, até o fim da vida.

Fique bem consigo mesmo.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta