A gratidão – um degrau essencial.

Nunca é demais falar sobre a gratidão.

Um degrau essencial para a escada do meu crescimento.

Tudo que é bom na vida é amplificado quando nos aceitamos como uma dádiva, uma benção.

Aprendi que a gratidão é uma forma de amplificação da felicidade.

Tudo parece melhor quando enumeramos as bênçãos.

A gratidão, como comentei na postagem sobre uma regra básica da felicidade, é um ingrediente fundamental para uma vida plena e feliz.

Quando agradecemos e sentimos que recebemos uma dádiva, reconhecemos alguém como um benfeitor, e nós mesmos como merecedores da dádiva. Isto eleva a auto-estima, pois nos coloca na categoria de merecedores e não de perdedores.

A gratidão nos afasta da comparação, que é um grande obstáculo à felicidade.

É certo, conforme comenta Robert Emmons no livro Agradeça e Seja feliz, que a gratidão exige tempo para refletir. O mundo frenético é um obstáculo ao exercício da gratidão, pois não temos mais tempo para reflexão. O tempo para refletir sobre as bênçãos, sobre a nossa impotência e a nossa dependência de outros.

A prepotência e a auto-suficiência é uma atitude mental que nos afasta da gratidão e nos distancia da felicidade.

Estamos constantemente recebendo dos outros, e quando temos a auto-estima baixa, nos sentimos inferiores, dependentes, perdedores.

Quando enxergamos como uma benção, uma dádiva, nos sentimos abençoados.

Interessante, segundo Emmons é que esperar a gratidão é por sua vez um obstáculo à gratidão.

Devemos ajudar, mas não devemos esperar gratidão.

Já diziam que os homens são menos propensos a sentir e exercitar a gratidão, pois foram ensinados a serem duros e a esconder as emoções. É uma das constatações de Todd Kashdan,  professor de psicologia da George Mason University, que tem sido ativo pesquisador no campo da psicologia positiva.

 Outros estudos, inclusive o apontado pela Time Magazine, realizado por pesquisadores da Hofstra University, realizado com jovens os quais mostram melhores notas, são mais sociáveis e integrados, mostram menos inveja e depressão que aqueles menos agradecidos e mais materialistas.

A boa notícia é que esse comportamento pode ser aprendido e vale a pena ser ensinado aos pequenos desde cedo.

Para uma criança, agradecer ao cachorro que lhe lambeu a face num momento de tristeza é um fantástico começo.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta