A fraqueza não é fracasso.

Reconhecer a fraqueza e ter a capacidade para transformá-la, é na verdade um sucesso.

Muitas vezes colocamos muita atenção nas nossas fraquezas com o receio de falhar e colocar tudo a perder.

Devemos, no entanto, colocar energia para melhorar as nossas fraquezas tirando lições das oportunidades onde fiquei desapontado com o próprio desempenho.

Não existe esse negócio de fraqueza quando acreditamos em nós mesmos, quando acreditamos que podemos melhorar.

Quando eventualmente falhamos, sabemos que podemos fazer novamente e acertar dessa vez, aprimorando, corrigindo e aprendendo.

A fraqueza é apenas uma redução de força, assim como a escuridão é a redução de luz. Ao trazermos a luz para a escuridão, ela se transforma.

Podemos colocar energia nas nossas fraquezas para assim transformá-las.

Isso se aplica ao indivíduo assim como para grupos, sociedade e nação.

Ainda, o próprio conceito de força e fraqueza deve ser repensado.

Às vezes, aquilo que julgamos uma força pode ser uma fraqueza. Uma mente rígida, inflexível e dura é na verdade uma mente fraca, ao passo que uma mente flexível, resiliente, fluida e compassiva, é uma mente forte.

Uma mente que resiste e se recusa é na verdade uma mente fraca, ao passo que uma mente leve e harmoniosa é uma mente forte.

Quando admitimos as nossas fraquezas, reconhecemos que devemos trazer a energia e a luz para esse ponto do nosso ser.

Temos a tendência de concentrar as nossas atividades onde acreditamos estão as nossas forças, recusando ou evitando atividades onde julgamos que podemos falhar.

Mas devemos aceitar e encarar com energia as situações onde vamos lutar arduamente para ter sucesso – aí está o aprendizado.

Aproveite a atividade sem pensar muito no resultado e vai tirar uma lição valiosa.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta