A felicidade não está na experiência, mas na lembrança dessa experiência.

“a felicidade não está no que vivemos, mas do que lembramos que vivemos”.

Essa observação que li em algum estudo sobre o bem envelhecer, me fez mudar algumas coisas na minha rotina diária.

Uma mudança, foi viver intensamente o momento presente, observando os detalhes, as falas, as cores, de modo que a lembrança desse feliz momento pudesse se perpetuar na minha lembrança.

Tenho lembranças fantásticas, como todo mundo, que são jóias raras na nossa vida.

Quando estamos experimentando algo fantástico, ao invés de desejar que o momento não passe, devemos prestar atenção em cada detalhe e usufruir plenamente.

Passados vários anos, a maturidade transforma um pouco a lembrança daquilo que vivemos, mas o brilho da experiência, a sensação inigualável está na lembrança viva do que vivemos.

Às vezes estamos tão entretidos nas coisas banais, materiais, que deixamos passar aquilo que vai ser o tempero da nossa lembrança.

As pessoas, de acordo com estudos científicos, têm uma tendência a se lembrar dos momentos felizes mais que os momentos infelizes.

Segundo um estudo, desenvolvido pelo Prof. Richard Walker, da Universidade de Winston-Salem, os momentos felizes são em maior número, quando comparados com os maus momentos.

O resultado dos seus estudos está relatado no artigo: Life is pleasant – and memory helps to keep it that way  (a vida é boa, e a memória ajuda que seja assim).

O outro ponto interessante, é que as memórias negativas vão se esvaindo com o tempo, ou pelo menos amenizando o seu efeito, o que acontece em menor grau com as memórias positivas.

Esse efeito cognitivo, biológico, social aparece como resultado em inúmeros outros estudos científicos.

Um ramo da neurociência estuda também a questão da memória, impactada pela atenção e pela emoção.

Somos então, seres fadados à felicidade, mas temos que fazer o dever de casa.

Trabalhar melhor os eventos negativos, por meio da aceitação, da resiliência, da compaixão e da serenidade.

Trabalhar melhor os eventos positivos, vivendo-os plenamente, colocando atenção nos detalhes, registrando, comentando e rememorando.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta