A fé.

A fé tem um significado religioso para aqueles que abraçam alguma religião. Mas é um sentimento espiritual que pode e deve habitar o coração e a mente de pessoas. Isso vale mesmo para aquelas que não praticam qualquer religião.
Vejo a fé como uma cebola.

Acreditar:

Temos algumas convicções e crenças em coisas que não vemos, mas que passamos a acreditar.
O futuro pode ser incerto, e para muito do que vem no futuro não seremos testemunhas. Mas passamos a acreditar que algumas coisas têm o seu rumo.
Digo que a fé é como uma cebola, uma soma das nossas convicções.
A primeira capa da cebola, aquilo que temos o primeiro contato quando seguramos a cebola, é a fé que temos em nós mesmos.
A segunda camada é o sentimento que nutrimos acerca das pessoas, e em seguida a fé nas instituições, depois a fé na humanidade, até que chegamos no miolo, na última camada.
Chamo essa última camada de fé em algo Superior a nós.

Deus:

A fé no Deus de cada um.
Acredito que quando completamos o exercício da fé em todas as camadas, nos tornamos um indivíduo completo.
A última camada da cebola, o miolo é onde se encontra o elo entre gerações.
Quando plantamos uma cebola, é do miolo que nasce uma outra vida, uma outra planta.
Ali no miolo estão os códigos da vida, a essência da existência de cada ser.
O exercício de descascar a cebola não é um exercício indolor.
Acreditar em algo que não vemos e sequer temos evidências objetivas. É algo que não vem sem alguma dor, algum sofrimento, alguma lágrima.

Serenidade:

Mas o esforço é retribuído com a paz, a serenidade e a plenitude.
Cada um descasca a cebola no seu ritmo uma camada por vez.
Temos a vida toda, que não é longa, e é bom saber que quanto mais cedo chegamos à última camada, mais plena é a nossa vida.
Acreditar numa Força Superior torna a nossa vida mais fácil.
É um processo complexo, pois enquanto não acreditamos que exista um Deus, fazemos de conta que essa divindade somos nós.
E porque somos a divindade, temos a responsabilidade sobre tudo e sobre todos.
Saber que o mundo não está nas nossas costas e que na verdade dividimos essa carga com ELE. É algo que merece ser experimentado.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta