A era da distração.

Diz Leo Babauta que vivemos a era da distração, e ele escreveu um livro com o título de FOCUS, e que coloca gratuitamente no seu blog Zen Habits, livre de direitos para quem quer que seja, e que trata muito bem desse tema.

Embora insistam em chamá-la de era da informação, diz Babauta que é melhor mesmo chamá-la de era da distração.

Nunca tivemos um ambiente que nos tira tanto o foco das coisas simples e importantes como este criado pelo mundo moderno.

É muita coisa competindo pela nossa atenção. Somos inundados até o pescoço por demandas que nos obrigam a ser indivíduos multitarefas.

E chegamos a esta situação sem se dar conta.Veio tudo de repente, de todos os lados.

Virou um modo de vida, e não conseguimos nos livrar disto.

Se você está criando, inovando, decidindo, você não pode estar inundado até o pescoço, sem qualquer espaço para o novo, para o inesperado.

É preciso focalizar, estar focado naquilo que está fazendo, sem as mil e uma distrações.

Isso vale para executivos, professores, inventores, enfim para praticamente todo mundo.

Como ficar mais focado e não tão distraído?

Separe um pouco o seu dia. Crie espaço para ficar desconectado e mais focado.

Tenha um tempo para criar – não deixe a distração tomar conta do seu cotidiano dia e noite.

Saia da linha de tiro e do bombardeio das informações.

Temos que descansar. Precisamos de retiro, de serenidade. Precisamos de desconexão. Simplesmente pare, respire, aprecie.

Não se deixe interromper.

Você pode ler, refletir, meditar.

Você pode sair um pouco de casa, caminhar, se conectar com pessoas.

Deixe o celular em casa e saia.

Mesmo no tempo que estiver conectado, reduza a sua exposição à enxurrada de informações.

Não saia navegando por tudo – focalize – reduza o seu tempo de exposição.

Reduza o fluxo de distração que te atinge.

Aprenda a apreciar o fazer nada – pare por alguns momentos.

Aprenda a lidar com aquilo que você chama de tédio.

Vá mais devagar, faça menos coisas.

Vá a menos encontros e reuniões.

Dê mais tempo para si próprio.

Reduza os compromissos.

Aceite a vida naturalmente.

Se comporte mais como a água, fluindo sem esforço, contornando obstáculos, calma, mas poderosa.

Reduza suas atividades e suas prioridades.

Concentre-se no que está fazendo.

Simplifique a vida.

Simplifique seu trabalho.

Aprenda a dizer não.

Aprenda a fazer menos coisas.

Focalize em algo fantástico, algo que você adora.

Se desconecte do trabalho.

Se conecte consigo mesmo.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta