A disposição para ser feliz.

A felicidade não é fruto da posição que ocupamos, mas da disposição que temos para ser feliz.

Diz a ciência que cinquenta por cento da nossa felicidade é função da nossa aptidão genética, e que apenas dez por cento é fruto das condições externas, e um total enorme, quarenta por cento, é resultado das nossas próprias iniciativas.

Portanto, devemos abandonar essa atitude de esperar para ser feliz quando as condições forem favoráveis.

Podemos sim, assumir a nossa capacidade de tomar as iniciativas que realmente podem nos trazer a felicidade.

Temos uma tendência, especialmente na sociedade consumista que vivemos, de correr atrás de coisas materiais, e das condições externas que acreditamos ser a receita para a felicidade.

Juntando todas essa condições externas, mesmo o casamento e relacionamentos, mal chegamos a dez por cento do que explica a nossa felicidade. Muitas dessas sensações de bem estar passam muito rapidamente, o que se denomina adaptação hedônica. Temos que procurar uma condição que seja real e duradoura.

Colocar energia:

Faz sentido focalizarmos a nossa energia e atenção naquilo que pode produzir um efeito maior, a nossa atitude, os nossos pensamentos e iniciativas que nos façam engrandecidos, cheios de orgulho e satisfação, mesmo que a nossa conta corrente não engorde em nenhum centavo.

Podemos sim mudar a nossa atitude, os nossos hábitos e a maneira com que enxergamos a vida e nós mesmos.

Podemos deslocar o foco da nossa atenção, dos nossos problemas, muitos deles fictícios, para a abundância da vida. Experimentar a alegria de viver, ainda que algumas adversidades nos roubem o bom humor.

Sei que todos sabem optar entre ser feliz ou ser infeliz, mas no nosso cotidiano, podemos facilmente nos fazermos prisioneiros do muro das lamentações, da culpa e dos ressentimentos.

O foco e atenção à nossa própria felicidade podem ser perturbados pelas comparações, inveja e busca pelas realizações materiais.

A disposição para ser feliz implica em abandonar todas essas estratégias equivocadas e atentar para aquilo que realmente toca o seu coração.

Olhe para dentro de si. Escreva você mesmo as estratégias vencedoras que funcionam para você, e coloque em prática.

Cuide de si mesmo como a prioridade no topo da lista, e seja feliz.                                                  R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta