A discordância e a discussão.

Discordamos constantemente, e nem por isso devemos nos meter em discussões desnecessárias.

O corpo se alimenta também dos seus pensamentos, emoções e atitudes – dê alimento de qualidade.

Estamos envenenando o nosso corpo com tantas sensações tóxicas, quando damos corda a discussões por quase nada.

Não devemos mentir, enganar ou dissimular para esconder a nossa discordância.

Discordância:

A discordância pode existir, e há ocasiões em que expressá-la seja essencial.

Por outro lado, há inúmeras ocasiões onde expor a discordância não vai agregar nada e pode ensejar o início de uma discussão por nada.

Criamos inimizades, acabamos com boas amizades e criamos dificuldades para nós mesmos, provocando os outros com discordâncias tolas e opiniões casuais, às vezes infundadas.

Dar asas a discussões preconceituosas é um prato cheio para desentendimentos.

Leveza:

Devemos conduzir com leveza os nossos relacionamentos.

Devemos nos afastar daquelas pessoas que adoramos provocar. É um prazer torpe e só nos faz mal. Certamente é um comportamento recíproco, e devemos sair desse carrossel.

Ser totalmente honesto nas observações pode causar constrangimentos, como já comentei aqui no blog.

Devemos ser habilidosos para se esquivar de opinar sobre questões polêmicas e desnecessárias, como dar uma opinião honesta sobre a sogra, sobre o chefe e tantas outras figuras.

A sua opinião é sempre importante, o seu ponto de vista é baseado na sua larga experiência, mas a harmonia dos relacionamentos deve sempre ser levada em conta.

Seja objetivo e positivo sem ser chato.

Procure ser uma companhia agradável e desejável – vai te fazer bem.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta