A busca do solo firme.

A busca de solo firme debaixo de nossos pés traz sempre a insatisfação e a decepção de não ser capaz de encontrar tal conforto, lugar plenamente seguro.

Queremos um ponto de referência permanente, uma segurança de que estamos seguindo na direção correta. Para isso, quase sempre estabelecemos tal referência no mundo das coisas. Funciona bem para o projeto de carreira, o casamento, uma profissão bem sucedida. No entanto, aprendemos com o tempo que tudo isso é mutável, e no fundo, nem sabemos se tudo isso nos trará o conforto e a felicidade que tanto buscamos.

Tudo passa um dia:

Como o budismo nos ensina, o mundo é impermanente. O mundo é fluido e muda constantemente, e buscar referências nesse mundo que muda de forma e lugar todo momento, pode se transformar numa decepção.

O melhor mesmo é se acostumar com a transformação que acontece sem pedir licença. Aprender a caminhar no terreno, nem tão firme e nem seguro que é a vida propriamente dita.

Nesse caminhar incerto, não tem lugar para carregar a culpa e os ressentimentos, pois do contrário, vamos nos sentir incapazes, diminuídos e decepcionamos consigo mesmo.

Vamos como vamos, e fazemos tudo o que está no nosso alcance, e é o bastante.

Se não fugimos das nossas responsabilidades e nem fazemos corpo mole, estamos bem, e temos que reconhecer que estamos fazendo a nossa parte.

Muita expectativa:

Um bom conselho é calibrar as nossas expectativas para o mundo real. Muita expectativa, aliada à busca pela perfeição, fazem o par perfeito da infelicidade.

No meio de tanta penumbra e incertezas, encontramos a alegria e o contentamento nas pequenas coisas.

Os amigos por perto, a família unida, e a serenidade para discernir o que podemos e o que não podemos fazer, no fundo, é tudo que pedimos.

O solo firme, a segurança máxima são características de um mundo irreal que nem devemos cogitar.

Vá com confiança, ainda que os cascalhos sob seus pés insistam em escorregar.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta