A aceitação não é um pacto com a mediocridade.

A aceitação não implica em resignação, mas simplesmente compreender e aceitar aquilo que está fora do nosso alcance.

Não quer dizer que gostamos ou que vamos conviver com isso, portanto, não é um pacto com a mediocridade.

Devemos aceitar as pessoas como são, fugindo da tentação prepotente de querer mudar as pessoas ao nosso critério.

Julgar as pessoas e criticar severamente a tudo e a todos e um sinal claro de prepotência.

O mal da prepotência:

Isso pode ser uma fonte grande de sofrimento, pois nada nem ninguém vai preencher todos os requisitos de comportamento adequado que gostamos de prescrever.

Não devemos aceitar agressões nem humilhações. Mas podemos aceitar que as pessoas sejam agressivas, ainda que isso implique em evitar a convivência com tais pessoas.

Não gostamos de muitas coisas e tampouco apreciamos o comportamento de algumas pessoas. Mais que tudo, temos que nos concentrar naquilo que está na nossa responsabilidade, e não cabe a nós controlar e modificar os outros.

Não temos, nem o poder, nem o mandato para condenar pessoas nem situações, e temos que aceitar o mundo por completo. Mesmo as pessoas detestáveis podem nos ensinar alguma coisa. As adversidades guardam lições valiosas que somente se revelam quando as aceitamos, sem rancor ou ressentimento.

Mas apesar de tudo, temos a capacidade de mudar muitas coisas. Mudar especialmente a nós mesmos, nossas atitudes, nosso comportamento e a maneira como encaramos a realidade.

O mundo perfeito não existe, e perseguir a perfeição é uma receita para decepções e sofrimento.

Estrada sem buracos:

Podemos desejar uma estrada pavimentada, sem buracos ou barreiras, mas são justamente as dificuldades que nos fortalecem e nos tornam resilientes diante da vida.

Quero ter sempre a iluminação para distinguir aquilo que posso modificar e a coragem para assumir a minha parte nessa história, a minha responsabilidade para agir e decidir.

Não sou mais aquele jovem afoito e arrogante, e a idade me trouxe também a serenidade para enxergar a vida com mais realidade.

Mas tenho um longo trajeto de crescimento pessoal, tenho muitos defeitos, e sei que a bola está na minha área. Tenho me empenhado, um passo de cada vez, e estou feliz com a vida e comigo mesmo.

R.S. Beco

1 Comentário

lilas666

about 4 anos ago

Republicou isso em Cosmopolitan Girl.

Responder

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked