3 – Ser amigo da raiva.

Guardar o rancor e demonstrar a raiva e contrariedade a todo momento, traz sempre um gosto amargo na boca que vai contaminar tudo na sua vida. É como comer uma comida ruim por toda a vida. Ou ainda,  viver uma vida sem sabor.

Trabalhe a sua raiva.

Aprenda a controlar os seus ímpetos.

Evite o bateu levou. Não se preocupe em dar sempre o troco, ou pagar com a mesma moeda. Esse comportamento traz prejuízos para sí próprio.

A raiva é um veneno que preparamos para os outros mas que escolhemos ministrar a nós mesmos.

Toda vez que pensamos – “ela vai ver só”-  lembre-se que você está preparando uma arma para ferir a si próprio.

Se liberte do sofrimento auto-imposto, do pensamento negativo, da carga inútil.

Caia em sí toda a vez que perceber a raiva chegar.

Pratique a meditação como forma de apaziguar o espírito. Traga a luz do sol que certamente brilha por detrás das nuvens.

Beco